Total de visualizações de página

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Risco.


  É o risco que se corre: de doer e de sangrar. De entregar o sentimento pra quem vai saber usá-lo ou não.  Mas negar esta entrega dói.

  É o risco que se corre: de sofrer e de pulsar. Da sangria desatar para quem não merecia uma gota de saliva. Ou  não. Mas negar carne e suor corrói.

  Por que beira a covardia. Por que cheira  ao abismo de ter morrido em vida. 

  Por que a mente imagina o que a boca nunca soube e na discussão das duas chega o dia sem resposta.